02/11/2008

pausa breve na Pausa

imagem at mg.scoop.co.nz



para mim o Amor morreu há muitos anos já. ainda falo dele como se o vivesse

ou fui eu que morri e me recuso. por teimosia. a acreditar na morte (minha para o Amor)?


4 comentários:

gabriela rocha martins disse...

às vezes as pausas são importantíssimas

até mesmo quando o continuar se inscreve em outro espaço e/ou num outro registo



.
um beijo

claras manhãs disse...

Nunca se morre para o Amor.
Está lá sempre, mesmo que escondido

beijinho

Madalena disse...

Pois, Gabriela, tu e o quemadre... :) bjs

Claras manhãs, tens razão mas devia ser possível. amar também desgasta quando já se amou tão forte... forte a ponto de estoirar de amor. isso devia bastar.

bj.
Obrigada.

Oliver Pickwick disse...

Como no slogan daquele filme de Coppola, Drácula de Bram Stoker, "o amor nunca morre". ;)
Um beijo!