06/10/2008

pianíssimo

Waiting For You by Renee Jinkins



a espera é um nome enrolado em tempo


tempo velho como manta de avô


a espera tem a medida de quem a vive


de tanto esperar sonho e falo contigo


fiz um poema longo que ainda me entoava ao acordar


"realidade.realidade.realidade...." pianíssimo agora - "realidade.realidade...."


entremeavas compassadamente - "facto.facto.facto"


ao despertar só me sobrara isto. a vizinha abriu-me para o dia


com o som odioso dos sapatos que a fazem parecer um elefante em pontas


tu esfumaste-te. com outro rosto já


facto? mas que facto? se o que tenho não é mais que ilusão


terceira idade da memória de querer. de ser. de desejar



eram só 6.30 da manhã. cedo demais para o banho matinal


tarde demais para readormecer. ficou-me mais um poema por viver.

7 comentários:

gabriela rocha martins disse...

impossível

,construtora da PALAVRA

[capaz ainda de me espantar]



.
um beijo

Teresa Durães disse...

mas as ilusões vão preenchendo os espaços vazios (mesmo que não seja assim tão saudável)

Madalena disse...

Obrigada Meninas. :9

Ando ainda com obras em casa porque é ao fim do dia que as retomam. daqui, do emprego não me dá para ler e comentar ninguém e estou moooorta de sono.

este fds sem falta, retribuo a V. atenção.


Um beijo (desta vez especial para a quemadre Gabriela.) Sejam felizes!

poetaeusou . . . disse...

*
compor . . .
desilusões . . .
,
bj,
*

della-porther disse...

Vim mergulhar no rio de força.
Deixo um beijo

Saio renovada,
com carinho

Delinha

Madalena disse...

Obrigada, Delinha. Beijo amigo. :)

Boa semana.

Madalena disse...

Poeta, componho ilusões. As desilusões vivo-as em silêncio.

Beijinho.