24/02/2009

Até um dia. Obrigada.

pixArmsShallows


todos os rios terminam no mar. este não é diferente. só o percurso é muito alcantilado. demora a lá chegar.

16 comentários:

Luis Portugal disse...

Olá Madalena
Blog interessante e simpático, parabéns!
Voltarei com mais tempo
Um abraço de,
Luís Portugal

tulipa disse...

Olá
Espero que este rio não o deixe de ser!
Gostava que este rio continuasse e demorasse a chegar ao mar...
Gosto de te ler.
um abraço
tulipa

pin gente disse...

mas os rios misturam-se no sal do mar e, um dia, tornam a ser rios doces... é o ciclo da água!

Madalena disse...

Oi!

O Rio, aqui secou mesmo. Quem sabe cansado de correr?...

Mas eu, levo comigo todos os que o acompanharam no curso. Todos. Mesmo os que, por cansaço fui perdendo.

Beijo Amigo. :)

Muito Obrigada.

Eu continuarei seguindo os Amigos.

Madalena Pestana

della-porther disse...

Madalena querida

Primeiro sinto uma tristeza, mas de seguida compreendo.
As águas desse Rios, sabes tu.
Falta fará, muita!. Para supri-la posso, e vou, retornar sempre.
No mais, segues os Amigos, afirmas e eu acredito.

Haverá sempre a inseparável vontade de ficar perto.

deixo um beijo, bem morninho e acolhedor como, por infinitas vezes, este Rios foi comigo.

com afeto,
sua amiga de sempre

emmy della-porther

poetaeusou . . . disse...

*
espero-te,
na foz que me indicares . . .
,
marés de vida,
desejo-te,
,
*

gabriela rocha martins disse...

outra NÃO!

NÃO

porque acabo a bater com o nariz em todas as portas?
fechadas
ou
a
fechar


não é justo

ficam
apenas
abertos
alguns
postigos

e
as
PORTAS
?

quemadre,

o nadar
custa
eu
sei
mas
desistir
é
para
os
fracos
e
não
te
tenho
como
tal!

para quando o encontro?
onde?

insisto
persisto
e
não desisto


aguardo.TE



.
um beijo

Madalena disse...

Obrigada Poeta e Gabriela.
Como as dores de coluna e o sono parecem ter-se apoderado de mim a infinito, não há "poesia" que lhes resista.

Por agora estou em http://escadamedo.blogspot.com/ _Rastos-Restos.

Beijos. Boa semana.

Madalena disse...

Emmy-Della, minha amiga parece que de sempre, não te esqueci, mas tens estado, apesar da distância, tão presente, que omiti a resposta.

eu sei que tu perdoas essas minhas velhices mentais. :)

Nada acaba. Tudo se transforma. Agora, em vez de rio serei mais uma fonte citadina a jorrar água da câmara com químicos para nos livrar das bactérias.

Vidas...

(alguém me faz um desenho? é que eu bebi água de poços, rios, riachos, poças lamacentas e ainda aqui estou.)
Bem. o erro é esse, já não devia estar e, muito menos queria, mas são os deuses que decidem, não é?

Desculpa Della, a omissão.

Beijos e obrigada a todos.

Até breve. Eu sei quem por ainda por cá passa. :D

r.e. disse...

obrigado pela visita às minhas fotos. deixo o caminho até às palavras também. J.

Madalena disse...

r.e., muito obrigada. Também já conhecia o caminho das palavras. :)

Só não tinha associado.

Não tenho comentado ninguém porque a coluna me faz até doer o ombro direito e isso impede-me de teclar.

Bjs

Mateso disse...

Porém os rios não terminam...as águas e seu leito onde páram?
Bj sempre.

ลndreia disse...

Lutemos! *

Madalena disse...

Mateso, não, os rios não terminam, mas às vezes são tão fios de água ou subterrâneos que mal se dá por eles. Como eu aqui e Agora.

Obrigada. Bjinho.

O que estou a conseguir dizer está em Rosto de Árvore. O link na foto azul da barra lateral.

(Não aconselho)

Madalena disse...

Andrea, Lutem! Sempre. Até ao limite.

Mesmo em baixo de forma, é o que eu também tentarei fazer.

Qual é o maior risco? A morte?

Mas isso é a nossa única certeza ao Nascer.

Que se dane se tiver de morrer a Lutar!

Obrigada pela tua aparentemente simples palavra: LUTEMOS!

Beijo.

日月神教-向左使 disse...

.................................................
.