04/07/2007

tu - meus olhos de sempre.

picture by bill schwab

nos dias de neblina, nos dias cinzentos, baços que assaltam até rios. nos dias que em terra não são mais que sombrios é que a descoberta de uma árvore melhor faz.

estende-me o braço esguio como um sinal de casa. acena-me a dizer: tu és capaz. e sigo. nado. respiro esse ar purificado que a natureza preparou para nós. para mim também.

no rio nem respirar é acto inconsciente. cada rio é diferente e há que acautelar qualquer fundão que nos faça descer a profundidades não previstas e a ter mais ar armazenado nos pulmões.

depois... depois para alguns nadadores há solidões.

não eu, que neste percurso até ao mar final, te tenho à minha frente como um facho. meu amigo de sempre. seta apontada a anunciar cada risco cada entrave. como o anjo de um céu ou para um cego um cão.


Running Dog by John Divola

8 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Romany, tens um blogue lindo, na cor, nas imagens que escolhes nas palavras que escreves.
Que esse amigo que tens na tua frente seja um rio de nascente pura e cristalina que te acompanhe e te apoie sempre!
Obrigada pelas visitas ao girassol.
Também te vou linkar.
Bjs

Romany disse...

Obrigado, Girassol. O teu blog continua uma festa... inteligente.
^
Bj

daniel sant'iago disse...

Gostei do que li.
Obrigado.

Romany disse...

Obrigao, Daniel. :)

Bru disse...

Romany


respiro, respiro e as vezes é difícil sair do rio s(ó)...



bru

Romany disse...

Toda a gente vive só por baixo da própria pele, Bru.

De resto, não.

Obrigado pela visita.

markus disse...

Gostei do que vi e li, parabéns continua. Se quiseres poderás sempre passar no meu catinho de palavras "redondas". bjos***

Romany disse...

Obrigada Markus.
Continuarei mas será mais "se conseguir".
Passarei com prazer. :)