10/11/2007

cumpre a promessa, Homem

image by Miru Kim


desempenhei mais papéis do que a memória comportava.

desci túneis que não conhecia. tropecei e caí vez após vez

no escuro. no escorregadio da água pouco clara


a noite que vivemos tinha tão pouco riso. doía-me o silêncio

mais que os joelhos rasgados nas quedas de não saber viver a personagem

que a cada dia tinha de mudar para acertar o passo ao teu jeito de ser.


depois paraste. tinha de ser assim. sabias tu e eu. a vida tem limites

como a pele

não podemos esticá-la a infinito sem risco de romper


partiste madrugada. assim fazias quando tinhas pressa de chegar

não levaste bagagem e nem disseste nada. quando eu visse. veria

para quê incomodar?



surgiram mais papéis para decorar depois que descansaste

alguns eu mal sabia interpretar. cansei demais. veio a vontade de seguir-te

não podia. havia os "nossos putos" por criar, homem das águas


e lá segui meio a crianças e traições até que uma mulher me fez morrer

estou , entre papéis, amor, tu sabes. e já nem os papéis sei arrumar


Estou sentado num dancing e tenho a mão. Ainda em volta de uma bebida de pressão de ar.*



ann-hamilton-much-paper


dispara essa bebida e corre a ajudar. afinal era o que estava combinado

se houvesse um outro lado onde poisar.


* Nuno de Bragança in a Noite e o Riso



-----------


este post vai ter de servir como resposta ao desafio do Espreitador. não passo a ninguém porque sou contra-correntes.

7 comentários:

gabriela r martins disse...

não devia perturbar este silêncio da água a correr e ficar apenas a ler.te .mas não resisti à pele de galinha e à escrita .uma é reflexo da outra

e por extensão

deixo.te um beijo
e ...
____________________

... desculpa o imoportuno comentário a este belíssimo post ... mas fizeram.me uma partida e eu vi.me na obrigação de dar continuação à mesma .por favor ,vai ao "the last dance" e segue a dança ... se achares por bem

PiresF disse...

Mas é evidente que serve, aliás, também eu sou avesso a correntezas e as únicas que passo são as referentes a livros.

Obrigada e um abraço.

poetaeusou . . . disse...

*
*
bebi as palavras,
afasta de mim este cálice ?
não as li, ouvi . . .
,
pianos,
violinos,
liras,
harpas,
mesclas de sons,
na aceitação e revolta,
angustia e deleite,
,
harmonia, sinfonia,
*
conchinhas
*

della-porther disse...

paper life


...lembranças a correr contra a corrente(eza)...seu rios de papéis.
no mais é o silêncio...de ouvir as águas e entender as palavras.

beijos

e um bom fim de semana

della

un dress disse...

do cansaço e das sombras se dispare

a bebida no peito

se caia

e se renança...



beijO ~

aramis disse...

Excelente texto Madalena, como só tu o saberias escrever...
Lembranças de tempos ainda tão presentes!
Beijos muitos

paper-life disse...

Muito obrigada amigos pelas palaras sempre agradáveis.

Perdoem-me a falta de visitas mas desde o dia nove que estou doente e... continuo. Nada de grave gripe apesar da vacina.

Boa semana. Bjs. :)