25/10/2007

confissão


image by Mark Townsend

devia haver entre nós olhar de pedra. devia haver e há. mas há também a água que surge aos olhos quando nos cruzamos e torna a pedra doce. coisa de rebuçado para criança. lá ficamos sem jeito. a inventar palavras para cobrir o tempo desse estar.

água a bater nas pedras. a amolecer as pedras que usamos como olhos ou pensamos usar. sabemos não poder olhar no fundo. lá para dentro é a alma. jogo das cinco pedrinhas. jogo de perder e de ganhar. já passámos por isso. conhecemos o risco de jogar. jogadores veteranos brincamos um com outro. provocação de infâncias tão passadas mas vivas como as cores do outono que esvoaçam à nossa volta já.

image by Moore Reef

acabou de chover. o ar está limpo. os olhos estão limpos mas olham em direcções diferentes e, se se cruzam, pregam-se logo ao chão. nenhum se quer mover dali e temos de. nenhum se quer calar pelo perigo disso e falamos de nada. por falar. rimos. temos de rir. ou caímos nos braços um do outro com o mundo a girar-nos em redor até nos despenharmos de vertigem na cama avermelhada do outono. mais quente ainda do que sol de agosto.

irra, confesso que seria um gosto!

12 comentários:

della-porther disse...

paper


...uma delícia de texto...e confissão! rsrsrsrs


beijos


della

jotabloguer disse...

OLá: E Porque não? Os amores e afeições são intemporais...só mudam é os modos como as praticamos..e como é lindo dizer "Amo-te!"
Beijinhos

Joaquim Amândio Santos disse...

e se chove lá fora, são os sussurros eufóricos do enlevo ritualizado no nosso aconchego...

poetaeusou . . . disse...

*
confissões de pedras,
--- ardentes ---
,
xi
*

O Profeta disse...

Seria um gosto...é um sublime gosto ler-te, tens a maestria dos virtuosos, a palavra ganha cores únicas pela tua pena...

Doce beijo amiga

prisu kim disse...

tudo pode acontecer...

Betty Branco Martins disse...

Minha querida


__________assim se lê_______e______sente-se os teus rios_________de forma [des]igual___lençois vermelhos-vermelho-seda. marcados de segredos________que nem o Outono________jamais revelará__________...

Adorei:))

Beijinhos com carinho

A.Tapadinhas disse...

Meu Deus! Ainda bem que não entendi o teu comentário! Foi por não o perceber que te visitei! Adorei o que vi e ouvi. O que eu ia perdendo! Uff!!!
Abraço e até amanhã!
António

A.Tapadinhas disse...

Ah! Já me esquecia. não há rios iguais e há rios sem margens...
Abraço.

paper-life disse...

Obrigada amigos e façam-me o favor de continuar visitando estas águas.:)

Também foi bom ver por cá gente nova. Bem vindo ao grupo A. Tapadinhas e obrigada.

BFS

M

Sailing disse...

Entrei no seu mundo, deixa-me levar pela musica, pelo som da água, pelas fotos, pelos textos.

Um belo rio, um grande momento.

Parabens por conduzir-me tão bem.

Voltarei

paper-life disse...

Sailing, obrigada pela visita: Fico contente que o ambiente agrade. A água corre para todos felizmente. Ainda. Volta sempre. :)