29/10/2007

adiante


Water_by_TheEveningStarLenore

embravecida a água salpica-me o rosto quente ainda de raivas que passaram pelos vasos sanguíneos a regar-me o cérebro. que bom!

que boa a água! que bom libertar raivas que marcaram por anos, o dia a dia que eu queria de paz! que bom distanciar-me agora disso tudo como nos separamos de tralha velha, a atrair traça no sótão lá de casa. tanto espaço nos sobra! era urgente fazê-lo mas teve de ficar sempre para amanhã.

teve de ser. não por feitio meu.

agora? agora o rio da vida corre quase como dantes. quase. que as águas nunca se movem para trás e ainda bem.


image by Ramūnas Danisevičius

salto do rio para o mar. voo de ave-gigante. com o corpo para a frente. liberta do passado. o futuro é adiante.

há deus ou há justiça! o nome tanto faz.

16 comentários:

della-porther disse...

adiante, sempre.

imagem impressionante.


bjs
della-porther

Era uma vez um Girassol disse...

..."salto do rio para o mar. voo de ave-gigante. com o corpo para a frente. liberta do passado. o futuro é adiante."

Belo e promissor...
Beijinhos

gabriela r martins disse...

às vezes ,infelizmente ,nem uma coisa nem outra ... porque o nome é que conta

.

um beijo ,quemadre!

Delfim Peixoto disse...

Uma flor, este poema. Um Jardim este Blog.

ironicidade disse...

Gostei.
Se tivesse umas pernas dessas... também escrevia assim:
Quando tiver links, linko.

paper-life disse...

Muito obrigada amigas/os. :)

Ponho as leituras dos vossos blogs em dia no feriado, que eu sou pouco dada a cemitérios. Até porque com tantos ausentes teria de andar a viajar...

Bem vindos oa grupo: Delfim Peixoto e ironicidade. Já tenho os vossos links. :)

un dress disse...

belO vOO...........................







:) bons dias...

linfoma_a-escrota disse...

admito que para mim é dificl gostar dos poemazitos que se vêm pela blogosfera, mas us teus têm qq cena de puro e despretencioso que sabe bem:

WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

não te choques, sangue e sémen faz parte de toda a gente duma maneira ou doutra

Todas as flores precisam de florir
quando o corpo clama por soneto passageiro
que se acende e talvez nunca apague
a memória da epifania que nos amainou,
só facadas temporais de súplica e tortura
podem absorver o excesso dum relâmpago,
como coito agregado entre médico e raio-x que
pesca iscas sem equilíbrio na Antártida derretida.
Foi em cubículo de champagne que
covinhas e língua entre os molares
se revelaram, como se anémonas
tivessem desfibrilado tornados de disparates
e, o chão aberto passagem até ao Paraíso.
Toda a espécie foi internada, empilhada e documentada,
restaram duas musas mútuas
sem obstáculos no tiro ao prato correspondido,
tal prece buliu a Besta lavada, à caracol,
ambos se confinaram à surpreendente sensibilidade
de dois amigos d’infância entrelaçando os braços
na festa de aniversário do colégio,
cuja bruma anseávam por impulso uníssono
desde o nascimento...
À beira d’ondinhas que se formam na maré baixa,
suavemente, procurando sem pressas as
peças perdidas desta brincadeira ciclíca,
a borrasca desfaleceu no rochedo da simbiose
enquanto vagas moribundas de pânico se afastavam
o solícito sol soltou-se para ouvir Iemanjá cantar
no tom mais límpido e luxuoso que acasos concedem.


in trepidação/trepanação 2004

legivel disse...

... tal como as águas não se movem para trás, também o salto na vida é, visivelmente, para a frente. Temos mulher para as olímpiadas no salto em comprimento. Parabéns e treina muito!

sorrisos.

Teresa Durães disse...

quem anda sem tempo porque se dedica a dez ou mais projectos e o dia tem 24 horas...

deixo beijo (perdi o número)

paper-life disse...

Linfoma, obrigada, mas permite-me uma correcção, eu digo razoavelmente poemas, não os sei ecrever.
Isso que postaste aqui, é um poema. Reconheço. O estilo fez-me lembrar a Luisa Neto Jorge de uma determinada fase, a do Difícil Poema de Amor ainda que o lirismo dela seja muito marcante e tu tenhas uma duzeza de que pareces fazer gala. :)

Não. não sou Poeta e sei. Abraço e volta sempre.

paper-life disse...

Já ganhei os cem metros livres à primeira tentativa aí aos 16 anos mas mais longe nunca fui, Legível. :) Enfim, corre-se e voa-se conforme as penas.
Obrigada.

paper-life disse...

Olá Teresa, julguei-te zangada, confesso, mas como não havia razões, fiz o que sempre faço, esperei-te.

Beijos

( a Della ou a gabriela podem dar-te o número)

___________

Para todos, amanhã sim, visito os blogs. Hoje tenho dores de coluna e não me apetece estar no pc. ok?

bjs

O Profeta disse...

Não há deus nem justiça, apenas a vontade do homem...e há rios, ribeiros de cristalinas águas, assim é a tua bonita alma...
um dia que venhas à ilha gostava de tomar um chá contigo...

Doce beijo nobre senhora

aramis disse...

Amiga,
Sempre que me apetece ler alguma coisa que seja bem escrita e boa, venho visitar-te... (além de ser verdade, podes considerar tambem piropo).
Tens fotografado? Não estás a colocá-las em nenhum site pois nã? Se sim, diz-me qual é.
Beijos muitos e bom fim de semana para ti!

paper-life disse...

Olá, aramis. Obrigada.

Continuo a guardar as fotos no Flickr. É só clicar no badge aí ao lado e ver.
Bjinho