20/10/2007

palavras-rio


down-the-river by Aaron Rayburn


descendo rios. saltando rio em rio

adormentei a dor das palavras guardadas

deitei sangue da alma. avermelhei a água

nada passa se não for resolvido

e as sangrias já estão ultrapassadas

na arte benfaseja de curar


vivi mares na idade dos lagos

mais tarde afundei poços. fui atirada lá

as palavras palpitavam-me as veias

não era dentro a mim o seu lugar

nem libertado o sangue elas saíam

colavam-se-me às células do cérebro


as palavras querem ser pronunciadas

alivio as que se libertaram

sofro as que insistem em não me abandonar

as palavras que a ti nunca direi

navegam rios comigo e alastrarão no mar

acabarão nas praias como história

como história. não como mais histórias

image by Santiago Caama



as palavras ganharam vida própria

são elas rios agora a transbordar.


12 comentários:

bettips disse...

Teus rios/correntes, onde correm os teus rios? Foges, enfeitada de sol ou de chuva, como uma nuvem. Mulher de estranhas virtudes: Paz e Guerra na mesma mão. Beijos

aramis disse...

Minha querida Madalena,
Pois acabei por passar um bom bocado desta tarde de domingo contigo.
Li e reli, relembrei e vivi , já tive uma lágrima a querer fugir mas também já sorri...
Obrigada pela companhia que me fizeste nesta tarde que deixou de ser solitária.
Beijos aos molhos

jotabloguer disse...

Madalena: Sem dúvida tens uma relação forte com a Água!Tb. te comportas como esses rios tumultuosos ou és mais tipo espraiando na chegada aos mares...Rodeado de água por todo o lado menos por um, sentimo-me ilha com uma ligação firme ao teu caudal...
Voltarei a navegar nas tuas águas...
Beijinho! Temos o mesmo tempo de Vida... é curioso...coincidências bonitas! E a música da Enya tb.
Jorge madureira
Jorge

Metamorfose disse...

7 Dias

7 Imagens

7 Palavras

7 Emoções

7 Sentires

7 Paixões

7 Contradições

Espero-te em metamorfoses 7

Um beijo de sentir em 7

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

As palavras são vida que emergem a cada pulsar.

Até outro instante

Fernanda e Poemas disse...

Olá querida Madalena, grata pela tua visita.
Lindíssimo o teu poema e foto.
Muitos beijinhos!
Fernandinha

Lumife disse...

Minha Amiga tens agora um bom momento para te distraíres indo até Alvito, pela Feira dos Santos...

Vou visitar-te de seguida no Vida - o segredo. Já vi o teu intervalo mas desta vez fizeste bem em dizer para onde vais...

Beijos e Felicidades

legivel disse...

... as tuas palavras (es)correm como água de caudalosos rios ou nos rápidos momentos do viver. Vou estar atento quando der os meus passeios de fim de semana na praia...

Óptima semana!

david santos disse...

Lindíssimo!
Muito bem enquadrada a foto com o texto. Espectacular.
Parabéns

paper-life disse...

Muito obrigada a todos. :)

Já tinha saudades deste convívio. Andei por aí a fazer de fotógrafa e parada dos blogs. Agradeço o vosso regresso às minhas águas.

Olá David, desde o Vida Morte e Cª que não sabia de ti. :)

Boa semana a todos.

vida de vidro disse...

E agora que eu cheguei, o rio vai correr noutro local? É pena... **

paper-life disse...

Não Vida de Vidro. O rio também corre noutro lugar, so isso. :)

Aqui só está em pausa para respiro. A semana que passou cansou-me os pulmões e precisava de ar.

Bjs menina. :)